Wednesday, 29 August 2018

Jardins. O elogio do silêncio.



Jardins. O elogio do silêncio.
O prazer e o fascínio que os jardins têm para mim são o resultado da influência que estes tiveram na minha infância. Desde muito cedo que a minha mãe e a minha avó materna, me levavam a mim e à minha irmã ao Parque Castro Guimarães junto ao Museu, e ao Parque Palmela, em Cascais. Mais tarde, nas férias grandes, descobri um mundo mágico e encantado nos jardins do solar da minha bisavó materna, no Minho. Árvores, flores, folhas e frutos; sombras e silêncio.


Em 2004, fiz uma exposição de cerâmica intitulada Jardins de Interior*

Em 2012, recomecei a desenhar com assiduidade. E, quando em 2017 a Manuela Rolão (Associação Cultural L1B- Seixal) me convidou para falar do meu percurso como ceramista e do meu renovado prazer de desenhar, intitulei a apresentação de Jardins de Interior. Ao escolher este título, reflecti sobre o que era para mim:

- o prazer dos jardins.
- o prazer de desenhar nos jardins e na Natureza
- o prazer da aguarela botânica

Os jardins geram paz e tranquilidade. E levam-me à reflexão.
Os desenhos têm, para mim, de vir do mais profundo do nosso ser. Quando isso acontece, vemos e sentimos a diferença. "O importante não é tanto o resultado mas o processo vivido".

A poesia e a literatura estão cheias de palavras inspiradoras sobre esta temática. Associar o desenho aos jardins e à palavra escrita é a minha proposta com este projecto.


*Jardins de Infância, The Walk to the Paradise Garden, Jardins Suspensos da Babilónia, Les Jardins sous la Pluie, Jardim da Celeste, Derek Jarman’s Garden, Jardim de Inverno, Vento quente no jardim de Marc, Jardim Inglês, Jardim Francês, Cidade-Jardim, Jardim Botânico, O Jardim dos Caminhos que se Bifurcam, Jardim sobre o lago de Thun, O Jardim das Delícias, Jardim Cinema, Colette au Jardin, Jardim à beira-mar plantado, From gardens where we feel secure, Jardim das Oliveiras, O Jardineiro Constante, Jardim Japonês, É favor não pisar a relva, O Jardim de Cimento, Um Crime no Jardim, Covent Garden, Jardim da Estrela, Não percebes nada de horta, O genuíno Almanaque Borda de Água, Na Outra Margem entre as Árvores, The Garden-Party, Raíz, caule, folhas, flores e frutos, Earth and green, Uma cobra a tirar água - outra a regar o jardim, A Árvore da Vida, Esplendor na Relva, Jardins de Interior. 
                                                                                 (José Vitorino: 2004)







Monday, 30 April 2018

Ciclo de Desenho no Jardim Gulbenkian - Micro, mega, giga, tera

Começou no dia 25 de Abril no Jardim Gulbenkian, o ciclo de desenho Micro, mega, giga, tera , orientado pelo Mário Linhares, que irá decorrer em oito sessões distribuídas pelas quatro estações do ano.

Caderno adquirido a Marilisa Mesquita
1ª Sessão - 25 de Abril - Micro Primavera



2ª Sessão - 5 de Maio - Micro Primavera


3ª Sessão - 23 de Junho - Mega Verão


4ª Sessão - 30 de Junho - Mega Verão



Friday, 16 March 2018

"Desenho Etnográfico - um curso breve duas vezes"

Desenho Etnográfico - um curso breve duas vezes (2018) com textos e coordenação de Philip Cabau, Sónia Vespeira de Almeida e José Mapril, é um livro que "pretende tornar pública a reflexão desenvolvida por três docentes responsáveis por duas experências de inserção do uso do desenho numa pesquisa etnográfica realizada em contexto urbano, que ocorreu na NOVA FCSH".

A minha participação com alguns desenhos e notas para a pesquisa etnográfica (pp. 72-73): "A exploração da Maria Teresa incidiu particularmente onde este lhe solicitava maior interesse: as manifestações gráficas da comunicação - da sinalética urbana - enquanto indicadores de significado social no espaço público."


As páginas do meu diário de campo





































Tuesday, 30 January 2018

Cabinet de Curiosités


Os Cabinet de Curiosités, designam nos séculos XVI e XVII espaços (móveis ou pequenas peças de decoração), onde eram apresentados e expostos as colecções  de uma enorme variedade de objectos raros ou estranhos: naturalia (do reino animal, vegetal e mineral), artificialia (objectos criados pelo homem, como por exemplo as antiguidades), exotica (plantas e animais exóticos). Viajantes mostravam assim as suas colecções trazidas de lugares longínquos com a finalidade de dar a conhecer e compreender o mundo.

Desde sempre que me senti atraída por pequenos objectos belos e exóticos, fosse coleccionando-os, ou registando em pequenos cadernos de notas. Decidi agora, criar um caderno com essa temática. Para isso encomendei um caderno personalizado à Marilisa Mesquita Handmade.



Cabinet de Curiosités I
Cabinet de Curiosités II
Cabinet de Curiosités III

10 meses 10 temas para desenhar na Quinta da Fidalga

Evento organizado pela L1B Associação Cultural do Seixal, em colaboração com a Câmara do Seixal. Com caderno incluído e propostas para desenhar da Manuela Rolão

 JANEIRO - Abstracto






Os cadernos de quem esteve presente

ABRIL - Água

















Saturday, 6 January 2018

MAC 2017 - Vamos desenhar com...


Aconteceram em 2017 no MAC - Museu Arqueológico do Carmo. Estes encontros tinham a finalidade de dar a conhecer aos Urban Sktechers como alguns tinham começado no desenho e o que tinha mudado, para eles, quando se juntaram aos Urban Sketchers. Depois da apresentação cada um fazia uma proposta de desenho, a que todos nos entregávamos com gosto.

11 Março - Desenhar com... Paula Cabral

13 Maio - Desenhar com... Teresa Ruivo


16 Setembro - Desenhar com...  Helena Monteiro

21 Outubro - Desenhar com...Marilisa Mesquita



Desenhar com... Celeste Vaz Ferreira


E para terminar este ciclo de desenhos... o MAC

Wednesday, 2 August 2017

Jardins de Interior

A Oficina de Desenho "Jardins de Interior" foi, a convite da L1B apresentada por mim, e orientada pela Manuela Rolão da L1B- Associação Cultural, Seixal.
Inspirei-me na importância que os Jardins têm tido para mim como local de reflexão, hoje com a poesia de António Ramos Rosa.


O primeiro exercício proposto pela Manuela Rolão foi: "registar sombras projectadas no chão ou manchas da casca do plátano. Integrar os versos, ou parte, da capa do caderno."
"Abrem-se espaços calmos/ abrem-se clareiras para estar/
indefinidamente/ num repouso fresco" - A.Ramos Rosa


O último exercício intitulado Jardins de Interior, foi inspirado no poema "Cada árvore é um ser para ser em nós", e a dupla página do caderno preparada para conter o resultado desse "diálogo gráfico entre a árvore e si próprio".


Desenho de Isabel Constantino Gonçalves
Desenho de Vanda Dias
Desenho de Rita Caré
Desenho de Gloria Rabanea

Esqª para dirª: Manuela Rolão, Teresa Ogando,
Isabel Gonçalves, Rita Caré, Vanda Dias, Gloria Rabanea



À sombra do grande plátano do jardim da Quinta da Fidalga, falei do significado e     importância, que têm tido para mim  os jardins, e da forma como o desenho ganhou o seu lugar na minha vida, não tanto como resultado mas como processo vivido; e conversei muito; e fotografei pouco. E também desenhei.



"Abrem-se clareiras para estar indefinidamente num repouso fresco"
" A árvore apazigua-nos com a sua atmosfera de folhas"
"O que tentam dizer as árvores
 A reverência
 A ressonância
 A transparência."
"À sombra de uma árvore o tempo já não é o tempo